Voltar ao Brasil – Visita que dói

Voltar ao Brasil – Visita que dói

Na última viagem ao Brasil, ao me despedir me desmantelei em lágrimas.

À primeira vista tudo normal, afinal despedidas são mesmo tristes.

Porém, eu sabia que voltaria em breve, não havia nada grave acontecendo na minha família e ainda assim meu corpo insistia em se contorcer e se desidratar.

Foram necessários alguns dias para eu voltar a me sentir bem de novo.

A cada visita ao Brasil vivenciamos tantos choques. Tanta coisa se readaptando aos nossos olhos e no nosso coração, que só alguém feito de aço passaria impune sempre.

Ao tirar o pé do avião já nos deparamos com a estranha facilidade de poder falar nosso idioma.  No caminho do aeroporto até onde ficaremos hospedados a paisagem mudou.

Em seguida, começamos a encontrar gente querida. É quase irreal como todo mundo se esforça para conseguir nos ver. Nesse encontro querem pagar nossa conta, nos revelam o apreço que sentem por nós, a falta que fazemos e como somos especiais em suas vidas.

A família conta histórias de quando éramos pequenos. Faz-nos relembrar de como é o sentimento de ter um passado vivido em comum com as pessoas ao lado.

A cada visita muita coisa mudou e precisa ser readaptada aos nossos olhos e o coração. Aquilo que não mudou também machuca, porque foi renunciado.

De volta ao aeroporto parece tão errado deixar tanto amor, tanta história, tanta felicidade para trás e novamente partir.

Mais uma vez estamos de frente para aquela escolha. Aquela que nos feriu em algum lugar interno que descamba a sangrar quando revemos nossa terra natal.

Mas, que o calor desses encontros pontuais e por isso tão especiais, não nos atordoe por muito tempo!

É inevitável que o retorno ao solo estrangeiro seja meio melancólico, que fiquemos um pouco birrentos e introspectivos.

Para não nos demorarmos mais que o necessário nesse limbo emocional é importante nos recordarmos dos motivos que nos fazem bancar a eleição de estarmos onde estamos, com toda a renúncia que isso implica.

Faz-se necessário também, reavivar o flerte com o país para onde imigramos.

Nesses primeiros dias depois do regresso pode fazer bem sair com os amigos nativos. Ir à lugares que considera especiais. Comer as comidas locais favoritas e aos poucos se deixar permear por este lugar que você escolheu para ser sua casa, mais uma vez.

Também te acontece uma explosão de sentimentos quando visita o Brasil? Divida sua história nos comentários, eles ajudam muita gente!

 

 

 

2 Comentários

  1. Eu nunca vi ninguém definir melhor o que sinto todas as vezes que volto ao Brasil. Pareceu um filme na cabeça que me fez colocar o dedo nessa ferida, voltando a sangrar.

Deixar um comentário